Metrô de São Paulo instala ponto de acolhimento para mulheres. Ideia boa para ser copiada nos terminais da Baixada

Começou a funcionar ontem (17/12), na estação Santa Cecília do metrô paulistano, o Posto Avançado de Apoio à Mulher. O espaço está aparelhado para receber mulheres vítimas de violência, seja psicológica, física, moral ou que tenham sofrido qualquer outro tipo de agressão ou assédio, por uma equipe especializada composta por assistentes sociais e psicólogas.

O posto ocupa um local bastante estratégico, já que para além dos casos de violência doméstica, 97% das usuárias do transporte público, de acordo com pesquisa dos Institutos Galvão e Locomotiva, já foram assediadas no sistema de transporte público. Outras 71% conhecem alguma mulher que já sofreu assédio em público. Números que recomendam ampliar os postos de atendimento, iniciativa que seria muito bem-vinda, aliás, nas rodoviárias e terminais da Baixada Santista.

Mas o posto paulistano não é exclusivo para denúncias envolvendo o transporte público. Dependendo da queixa, a mulher recebe encaminhamentos para redes de enfrentamento à violência contra a mulher, como os Centros de Referência da Mulher (CRM).

O atendimento funcionará de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h, exceto feriados. A ação também integra a campanha “Sinal Vermelho Contra a Violência Doméstica”, iniciativa na qual as vítimas de qualquer agressão ou assédio podem ir a qualquer uma das 62 estações das linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata e mostrar discretamente a um funcionário um “X” desenhado na mão, como forma de denúncia discreta.

Escrito por

Equipe Chega!

Grupo de alunos, ex-alunos e professores da Universidade Santa Cecília – FaAC, metendo a colher para conectar pessoas, ideias e lutas, dispostos a contribuir com o debate público sobre a violência contra a mulher.