Repetir isso ainda é pouco. Toda mulher sofre abuso. A finitude passada do tempo verbal não condiz com nossa realidade.

Por Paula Denari

Sofremos abuso todo dia. Somos violentadas no trabalho, em casa, no trânsito. E essa violência é tão normatizada que, mesmo quando assumimos a postura feminista, mesmo dentro dos movimentos, não temos muita clareza pelo que lutamos.

Arte de Márcia Okida
“Arte feita em composição com a pintura “Summer interior” de Edward Hopper. Porque as mulheres, seja na história da arte ou na vida real, sempre foram vítimas de violência”

Afinal, o que nós podemos? O que nos agride? Nos acostumamos com as agressões sociais. Sair desse ciclo implica em dilacerar tantas relações que, muitas vezes, colocamos na balança se não dá para suportar. Suportamos. 

Toda mulher sofre abuso

Aquela sua amiga empoderada, aquela chefe tão brilhante, chega em casa e suporta “pequenas” violências.

Ela precisa dizer para si que são pequenas. Seja o desrespeito por suas vontades, sejam as insistentes explicações óbvias masculinas ou direcionamentos forçados de conduta. Seja um grito do marido que abafa ou finge que não ofendeu por causa dos filhos. Seja uma transa sem a menor vontade, porque, afinal, é o marido. Seja assumir um papel que não compreende porque é só seu: a louça, o mercado, os filhos. 

Toda mulher sofre abuso. Todas nós ouvimos piadas machistas no churrasco da empresa, no almoço de família. Todas já foram culpabilizadas por escolher a profissão. Fomos culpabilizadas pela traição do marido, por engordar, por emagrecer, por não segurar o homem. 

Toda mulher sofre abuso

E romper com esses abusos é tão doloroso como permanecer nele. São decisões que protelamos ou nunca tomaremos.

Preferimos ecoar nossa voz fora das quatro paredes que nos cercam, na esperança que outras ouçam e que assumam as transformações que não temos forças para fazer. 

Toda mulher sofre abuso 

Dentro de cada coletivo feminista tem manas “porretas” que abafam suas feridas e se sentem fraudes, que têm vergonha de encarar o espelho, que fingem estar tudo bem. 

Toda mulher sofre abuso. 

Nós sabemos disso, por isso naquele encontro de olhares, mais do que um “por que você aceita isso?”, simplesmente optamos pelo acolhimento. 

Toda mulher sofre abuso 

E caminhamos muito pouco para mudar isso. Afinal, para o “outro lado”, o status quo é tão atraente. 

Toda mulher sofre abuso 

Olhamos para as meninas com pena, com medo, com apreensão. 

Reconheçamos o valor de cada uma daquelas que mudas, machucadas, gritando, apesar do abuso, lutou pelas que virão.

Escrito por

Paula Denari

Mãe de Elis, Paula é mestre em Comunicação pela USP, docente do curso de Jornalismo da Unisanta e é licenciada em Letras – Português e Inglês.