Por Natalia Cuqui

Elas foram mortas por maridos, namorados ou conhecidos. Entraram para a triste estatística de 2019, o ano recorde em vítimas de feminicídio.

Engel Sofia Pironato. 21 anos. Auxiliar de enfermagem, morta pelo ex-namorado, Lucas Alves,  em Santo André (SP). Ele escondeu seu corpo numa geladeira. Ela havia terminado o namoro por causa do vício dele em drogas. Ele não aceitava o fim do relacionamento. 18 de março.

Elieide Rodrigues de Oliveira. 38 anos. Foi atropelada pelo marido, que fugiu. Além disso, também levou tiros. No mesmo dia e na mesma cidade em que Engel foi morta. Elieide já havia denunciado o marido anteriormente por agressão. 18 de março.

Arte de Márcia Okida

Viviane Miranda Maurício, 26 anos. Assassinada por um homem chamado Pablo na cidade de Mauá (SP). Seu corpo foi esquartejado e colocado em uma mala dentro de um armário na casa do assassino. Quem encontrou o corpo foi a esposa dele. 24 de abril.

Feliane Tavares Campos. 26 anos. Assassinada pelo primo, com quem mantinha um relacionamento aberto, em dezembro de 2018. Foi morta por asfixia porque não queria transar com ele. O suspeito só foi preso no início de maio.

Maria dos Santos Gaudêncio. 52 anos. Morta pelo namorado, que bateu sua cabeça na parede até que ela desmaiasse, para depois esfaqueá-la, em março. O assassino fugiu, mas foi encontrado.

Maria de Jesus Lima. 29 anos. Assassinada pelo companheiro, seu corpo esfaqueado ficou numa tubulação e foi encontrado em decomposição. Ela deixou mensagens na sua casa como “Culpado. O Henrique me matou”. Ela já havia feito pelo menos três ocorrências contra ele. O assassino tentou fugir diversas vezes do estado.

Valdikele Maria Silva. 31 anos. Assassinada pelo marido a facadas na frente de crianças depois de uma discussão em Guarulhos (SP).

Tatiana Freire. 23 anos. Morta a tiros por dois homens em uma moto no interior do Ceará. Ela foi baleada quando ia buscar documentos para solicitar uma pensão para o filho de 4 meses, já que o pai havia morrido no ano passado.

Valéria Barreto. 34 anos. Assassinada pelo ex no Distrito Federal porque conhecia demais um esquema de fraude do INSS.

Valquíria Ferreira. 36 anos. Morta pelo ex a poucos metros da padaria onde trabalhava em Santos (SP). Ela estava sob medida protetiva de urgência. Um mês antes, ele havia a ameaçado de morte após o fim do relacionamento. Ela já havia feito outras ocorrências contra ele

Edilma Barbosa. 26 anos. Esfaqueada pelo marido após uma discussão em Cubatão (SP). O suspeito foi preso em flagrante.

Mariene Rossi Teixeira, de 29 anos, foi encontrada com o fio enrolado no pescoço. Conforme a polícia, o suspeito é ex-cunhado da vítima. O suspeito tem uma condenação por estupro e estava em liberdade condicional. 25 de maio.

Leticia Rosa dos Santos, 30 anos, foi encontrada morta em sua casa. Principal suspeito é o marido. 29 de maio.

Leidiana, de 36 anos, foi morta a facadas em Itumbiara. Segundo a polícia, o autor foi o namorado após descobrir que a mulher planejava se mudar de Goiás sem ele

Escrito por

Chega Admin

Grupo de alunos, ex-alunos e professores da Universidade Santa Cecília – FaAC, metendo a colher para conectar pessoas, ideias e lutas, dispostos a contribuir com o debate público sobre a violência contra a mulher.